Acabo de perder um post.  Não salvei rascunho, não salvei, ponto.  Sensação horrível de achar que está chegando o fim, e zaz! Tudo some, foi-se para o espaço, que acho que não é virtual, senão, não estaria nesse limbo onde me sinto agora…Mas também não é tão grave assim.  Vou salvar…Pronto…agora sim…continuo.  Paranóia do século 21 essa de salvar tudo!  Mas o post dizia algo assim como…
Domingo de sol, céu azul, 19 graus em São Paulo.  Já li alguns blogs, deixei alguns comentários, li o jornal, entrei no nytimes, tomei meu café.  Mil coisas para fazer na cidade…salvei de novo…e eu aqui me perguntando o que faço.  Não quero nem ligar para convidar alguém…últimamente tenho recebido muitos NÃO e isso me incomoda.  Vários são os motivos do NÃO: preguiça de sair de casa, compromissos com a família, cansaço, gripe (não a suína, I hope!), falta de vontade de viver, compromisso com os cabelos, unhas, pêlos pubianos (como diz um amigo), nenhum motivo que possa me fazer abortar a minha vontade e me juntar a ele ou ela.  Se pelo menos recebesse contrapropostas, seria genial.  Acho que vou acabar indo sozinha mesmo…seja o que fôr fazer!
Mas nem tudo é assim.  Sexta-feira fui com a Juliana e o Alessandro na galeria Choque Cultural, conferir o trabalho We Will Rock You, da artista plástica e queridinha rocker Tara McPherson.  Com um nome desses, Tara, eu tinha de ir!  Designer de posters de bandas de rock (Depeche Mode, Beck, The Melvins, etc., etc.) , ilustrações, livros, series de tv com os criadores dos Simpsons, Tara é uma mulher que pensa como mulher, não tem medo de pensar como mulher e desenha como tal!  Traços cheios de sensualidade, romanticismo, maldade (olhos!), sofrimento, sort of Frida Kalho’s style, pop art contemporâneo e muita, mas muita cor! Tara sempre se foca nas pessoas, nas relações humanas do século 21.  Uma mulher poderosa que faz que eu ainda tenha esperança nesse quadro negro de “mulheres trubufú” (de novo, como diz o meu amigo!) que vejo por ai. 
 
 
 
 
Advertisements