“Enquanto eu lia no jardim, coisa que minha tia-avó não entendia que eu fizesse a não ser nos domingos, dia em que é proibido ocupar-se alguém com qualquer coisa séria, e quando ela não costurava (num dia útil, ela me teria dito: “Como, tu ainda te divertes em ler, mas não estamos no dimingo”, dando à palavra divertimento o sentido de infantilidade e perda de tempo), minha tia Léonie conversava com Françoise, esperando a hora de Eulalie.” 
Marcel Proust, Em Busca do Tempo Perdido, No Caminho de Swann
 
A melhor maneira, então, de perder o meu tempo: LER!  Para uns, não fazer nada.  Para mim, fazer tudo!
 
 
 
 
 
 
 
Advertisements