Ontem tive uma experiência sensorial.  Fui com amigos do meu coração para Perus,  periferia de São Paulo.  Ponto de encontro no Ricardo, na Estação da Luz, para munir-nos de inspiração alcoólica etc e irmos ao aniversário da Andréia, amiga da turma.  Ela decidiu comemorar o aniversário dela na comunidade onde é médica e voluntária com um grupo de indios e pessoas da comunidade.  Tinhamos de ir de trem, a famosa CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), sentido Francisco Morato.  Lá fomos nós, em excursão para a periferia de Sampa, terra que nunca acaba, infindável.  Foram várias estações, umas 7 até chegar ao destino.  Como SP é diverso.  Como SP é sofrido.  Como SP é arte!  Valeu Ricardo pela recomendação e valeu Andréia por nos convidar!  

This slideshow requires JavaScript.

Advertisements